FRANCO FAVORITO – 1968 « Torcedor Botafoguense

FRANCO FAVORITO – 1968

Publicado em 24/06/2012, 9:42 por João Paulo

 

Na disputa do título estadual de 1968, o Botafogo era o franco favorito ao título. A base do time campeão carioca de 1967 foi mantida e Zagallo continuava comandando craques como Jairzinho, Roberto, Paulo César Lima e outras feras. Além do Glorioso, Flamengo, Fluminense, Vasco, América, Bangu, Bonsucesso, Campo Grande, Portuguesa da Ilha, Madureira, Olaria e São Cristóvão participaram do torneio, divididos em dois grupos de seis times. Os quatro melhores de cada grupo se classificavam para o segundo turno.

 

O time do Botafogo campeão carioca de 1968. Em pé: Moreira, Cao, Zé Carlos, Leônidas, Carlos Roberto e Valtencir. Agachados: Rogério, Gérson, Roberto, Jairzinho e Paulo César Lima.O time do Botafogo campeão carioca de 1968.
Em pé: Moreira, Cao, Zé Carlos, Leônidas, Carlos Roberto e Valtencir.
Agachados: Rogério, Gérson, Roberto, Jairzinho e Paulo César Lima.

 

No segundo turno, o Botafogo teve uma campanha irretocável com sete vitórias em sete jogos, e se classificou para a grande final em primeiro lugar. Se adversário seria o Vasco, que teve a melhor campanha do primeiro turno, com dez vitórias e apenas uma derrota. Mas não fez um bom segundo turno, empatando em pontos com o Flamengo, mas beneficiado pela boa campanha na primeira fase.

 

A decisão foi marcada para o dia 9 de junho de 1968. Mas, durante a semana que antecedeu o jogo, o Vasco se dedicou a uma guerra de nervos, provocando todos os jogadores, principalmente Gérson, o Canhotinha de Ouro. Zagallo, vendo que as provocações poderiam prejudicar os jogadores, preferiu o silêncio e os treinos.

Naquela tarde ensolarada o Maracanã estava lotado, com mais de 140 mil pessoas aguardando o jogo entre as melhores equipes do campeonagto estadual. A partida começa e o ponta Silvinho quase abre a contagem para o Vasco. Logo em seguida, o troco do Botafogo: Gérson acerta o travessão de Pedro Paulo. Enquanto o Vasco atacava mais, o Botafogo cadenciava o jogo e esperava o momento certo para acertar um contra-ataque.

Aos 14 minutos, num lançamento de Jairzinho para Roberto, o centroavante botafoguense enche o pé e abre o placar. O time vascaíno sente o gol e parte desordenadamente para o ataque. Em mais um contra-golpe o Bota faz o segundo: Rogério entra na corrida e em diagonal e acerta outro chute indefensável para o goleiro Pedro Paulo, aos 33 minutos. Com a vantagem de 2 a 0 no placar, a torcida alvinegra cantava alegre no Maracanã.

O técnico Paulinho de Almeida tenta arrumar a equipe e faz alterações no Vasco para tentar a virada no segundo tempo. Mas o Vasco continuava atacando desordenadamente e o Botafogo só aguardava a melhor oportunidade de atacar. Mais arrumado em campo, o Glorioso chega ao terceiro gol com Jairzinho, aos 18 minutos. Nesse momento, a torcida botafoguense já gritava “olé”. E os 25 minutos, o meia Gérson, que sofreu com as provocações dos vascaínos, dá números finais ao clássico. O Botafogo venceu o vasco por 4 a 0 e foi bicampeão carioca.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 4 x 0 VASCO
DATA: 09 de junho de 1968
LOCAL: Maracanã
PÚBLICO: 141.689 pessoas
RENDA: NCr$ 513.379,25
ÁRBITRO: Armando Marques
GOLS: Roberto aos 14′, Rogério aos 33′ do primeiro tempo; Jairzinho aos 18′ e Gérson aos 21′ do segundo tempo.

BOTAFOGO: Cao; Moreira, Zé Carlos, Leônidas e Waltencir; Carlos Roberto e Gérson; Rogério, Roberto, Jairzinho e Paulo César Lima.
Técnico: ZAGALLO.

VASCO DA GAMA: Pedro Paulo; Jorge Luiz, Brito, Ananias (Sérgio) e Ferreira; Buglê e Danilo Menezes; Nado (Alcir), Ney, Walfrido e Silvinho.
TÉCNICO: Paulinho de Almeida.

Fonte: http://www.futebolecialtda.com.br/

Comente

Para que o debate transcorra da maneira mais adequada possível, definimos algumas regras de conduta. A moderação dos comentários será feita por nosso redator e nos reservamos ao direito de apagar os comentários que fugirem a política abaixo descrita:

• O comentário divulgado deverá ter relação com o conteúdo vinculado ao post;

• Estarão proibidas mensagens de caráter comercial ou publicitário;

• Não poderá haver comentários ofensivos, preconceituosos, assim como qualquer outro que venha a ferir os bons costumes;

• Os comentários não poderão denegrir a imagem de uma pessoa, instituição ou empresa;

• Estarão proibidos comentários racistas e pornográficos ou de ideias ilegais;

Você tem que estar logado para comentar.