O DIA EM QUE MANÉ GARRINCHA DEIXOU O BOTAFOGO AINDA MAIS GLORIOSO « Torcedor Botafoguense

O DIA EM QUE MANÉ GARRINCHA DEIXOU O BOTAFOGO AINDA MAIS GLORIOSO

Publicado em 27/05/2012, 14:30 por João Paulo

 

No dia 15 de dezembro de 1962, o time de Mané Garrincha, Nilton Santos, Quarentinha, Zagallo e Amarildo conquistava o Campeonato Carioca daquele ano. Naquela tarde, os quase 160 mil espectadores puderam assistir a uma das mais espetaculares atuações de um jogador na história do Maracanã. E talvez a última grande exibição de Mané em toda a sua carreira.

 Time do Botafogo campeão carioca de 1962.
Em pé: Paulistinha, Manga, Jadir, Nilton Santos, Ayrton e Rildo.
Agachados: Garrincha, Edison, Quarentinha, Amarildo e Zagalo.

O Botafogo era o grande favorito ao título carioca de 1962, já que era uma das bases da Seleção Brasileira campeã mundial no Chile. Além de contar com Mané Garrincha (considerado um dos melhores jogadores do mundo depois das suas atuações na Copa), Nilton Santos (que jogava como zagueiro naquela época), Zagallo e Amarildo, campeões mundiais com a seleção, além de outros grandes jogadores da história do clube da Estrela Solitária como Rildo, Quarentinha e o goleiro Manga. Com um timaço desses, o Bota era apontado como franco favorito ao título carioca.

Entretanto, do outro lado da decisão estava o surpreendente Flamengo, dono do ataque mais positivo da competição, com 57 gols em 23 partidas (sem contar a da decisão). A linha de frente era formada por Espanhol, Henrique, Dida (campeão mundial com a Seleção Brasileira em 1958) e Babá. Isso sem falar em Gerson (o mesmo que faria parte do Brasil Tricampeão em 1970), Carlinhos, Jordan e Joubert, todos ídolos do clube. E o técnico era ninguém menos do que Flávio Costa, dono de nove títulos cariocas.

O Campeonato Carioca de 1962 foi disputado no sistema de pontos corridos e a vitória, na época, valia apenas dois pontos. Para se sagrar o campeão daquele ano, o Flamengo precisava de apenas um empate, já que tinha um ponto a mais do que o Botafogo (38 contra 37). Na tentativa de parar Mané Garrincha, Flávio Costa resolveu colocar o então jovem Gerson na marcação do gênio das pernas tortas. O que se viu, no entanto, foi um show do maior camisa 7 de todos os tempos.

No dia 15 de dezembro de 1962, as duas equipes fariam a grande decisão do campeonato carioca num Maracanã lotado. E o Botafogo entrou em campo com mangas compridas, mesmo numa tarde de verão no Rio de Janeiro. Alguns diziam que era superstição. Mas todos aqueles 159 mil espectadores assistiram a um show de Mané Garrincha. O Flamengo até começou melhor, mas logo aos nove minutos, o gênio das pernas tortas arrancou pela direita, deixou Gerson e Jordan na saudade e chutou cruzado no canto do goleiro Fernando. E Mané estava impossível. Em mais uma jogada pela direita, Garrincha passou como quis pela defesa e bateu cruzado. A bola bateu no zagueiro Vanderlei e morreu no fundo das redes. Era o segundo do Fogão.

Veio o segundo tempo e o Flamengo, atônito, tentava a todo custo o empate (resultado que daria o título para o rubro-negro da Gávea). Mas o dia era realmente do Botafogo que tinha no goleiro Manga um paredão intransponível. Amarildo, o Possesso, recebeu na esquerda e cruzou. Quarentinha pegou de voleio, o goleiro Fernando defendeu, mas soltou a bola nos pés de… Mané Garrincha! Era o terceiro do Botafogo e a torcida explodia de alegria nas arquibancadas do Maracanã. O Glorioso conquistava o bicampeonato.

Abaixo, você confere um vídeo com os melhores momentos da partida tirado diretamente do inesquecível Canal 100, com direito a música-tema do programa, composta por Waldir Calmon e com narração original e tudo mais…

 

 

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 3 X 0 FLAMENGO
DATA: 15 de dezembro de 1962
LOCAL: Maracanã (Rio de Janeiro)
PÚBLICO: 158.994 pessoas (147.043 pagantes)
RENDA: Cr$ 22.093.570,00
ÁRBITRO: Armando Marques

GOLS: Garrincha aos 9′ e Vanderlei (contra) aos 35 ‘ do primeiro tempo; Garrincha aos 2’ do segundo tempo.

BOTAFOGO: Manga; Paulistinha, Jadir, Nílton Santos e Rildo; Ayrton e Édison; Garrincha, Quarentinha, Amarildo e Zagallo.
TÉCNICO: Marinho Rodrigues.

FLAMENGO: Fernando; Joubert, Vanderlei, Décio Crespo e Jordan; Carlinhos e Nelsinho; Espanhol, Henrique, Dida e Gérson.
TÉCNICO: Flávio Costa.

OBS.: Dida e Paulistinha foram expulsos aos 39 minutos do segundo tempo.

*****

Aquela partida teria sido a última grande exibição de Mané Garrincha. Infelizmente, o gênio das pernas tortas nunca mais foi o mesmo. O futebol é assim. Do mesmo jeito que ele pode nos trazer alegrias incríveis e momentos de pura magia, pode também ser implacável como um drible e cruel como um chute no ângulo ou uma derrota doída.

Fonte: http://www.futebolecialtda.com.br/

Comente

Para que o debate transcorra da maneira mais adequada possível, definimos algumas regras de conduta. A moderação dos comentários será feita por nosso redator e nos reservamos ao direito de apagar os comentários que fugirem a política abaixo descrita:

• O comentário divulgado deverá ter relação com o conteúdo vinculado ao post;

• Estarão proibidas mensagens de caráter comercial ou publicitário;

• Não poderá haver comentários ofensivos, preconceituosos, assim como qualquer outro que venha a ferir os bons costumes;

• Os comentários não poderão denegrir a imagem de uma pessoa, instituição ou empresa;

• Estarão proibidos comentários racistas e pornográficos ou de ideias ilegais;

Você tem que estar logado para comentar.